Virgílio Ferreira

UNCANNY PLACES

Fotografia

Uncanny Places é um projecto sobre a estranheza que certas imagens podem insinuar.A sua captação surge-me de uma percepção sensorial, pois é de uma forma aleatória mas intuitiva que, desprovido de bússola, percorro lugares aparentemente comuns. Esta deliberada desorientação a que me submeto na procura de estímulos para a criação de imagens, potencia a ideia de errância, de possibilidades em aberto. Esse ponto de vista passou a ser o sistema ordenador do meu projecto: a distinção entre a realidade e aparência acentuada pela sua estranheza. Uma estranheza que pode ter uma pluralidade de significados e de matrizes – espanto, medo, memória, mito, fantasia – e que visualmente procuro criar, propondo diferentes níveis de observação e interpretação do real e do imaginário. Num espaço muito curto de tempo há uma dupla exposição na mesma imagem, do mesmo acontecimento. Intencionalmente isto cria uma noção de continuidade entre o aqui e o ali, onde dois tempos se sobrepõem no mesmo lugar. A presença dessas duas camadas físicas e temporais na mesma imagem contraria o habitual fluxo da percepção. Trata-se, pois de situações onde nada se pode afirmar com clareza, mas que podem apreender-se pela intuição e pelo sentir. Pretendo, antes de tudo, produzir imagens abertas para um diálogo entre a realidade e a ilusão. O conceito uncanny transporta esta amplitude e potencia distintas trajectórias que interrelacionam acções práticas e simbólicas, consciente e inconsciente, biológico e cultural. Iniciei este projecto em 2006 e tenho vindo a desenvolvê-lo em algumas cidades: Paris, Amesterdão, Berlim, Roma, Edimburgo, Varsóvia, Lodz, Atenas, Lisboa, Chicago, Nova Iorque, Aldan-Sibéria, Moscovo e Xangai. Com vista a um trabalho rigoroso e sem recorrer a qualquer manipulação digital, as fotografias foram realizadas em médio formato com uso de reversal film, o processo analógico acresce ao mistério destas imagens.